Nós nos exercitamos corretamente: freqüência cardíaca e zonas de pulso

Durante muito tempo, tive a certeza de que, para que os exercícios tivessem o máximo efeito, é necessário dar 120%. Você precisa treinar sem arrependimento, até que você não possa mover um único membro. Descobriu-se que tal treinamento pode ser não apenas perigoso, mas também não trazer o resultado esperado. Quando em execução, natação ou outras atividades que aumentam a carga sobre o coração, é necessário monitorar constantemente tal indicador como freqüência cardíaca.

A freqüência cardíaca é a freqüência cardíaca, nas pessoas comuns a taxa de pulso. Geralmente, quanto menor esse indicador, melhor é a saúde do sistema cardiovascular do homem (com exceção de algumas doenças, como bradicardia) – isso significa que o coração precisa de menos cortes para bombear a quantidade certa de sangue. Além disso, a freqüência cardíaca pode servir como um indicador da intensidade do treinamento. Para fazer isso, primeiro, você precisa calcular o MCHSS (FC máxima) de uma pessoa pela fórmula 220 – idade. Agora, dependendo de quantos por cento do MCHSS é a freqüência cardíaca durante o treinamento, ele pode ser atribuído a uma das zonas e entender como isso afeta o corpo.

  • Zona terapêutica (cardíaca) – 60-70% de MCHSS. Esta zona é para pessoas com pouca aptidão física. Nesta zona, a carga cardíaca é muito leal e a probabilidade de dano é baixa. Nesta zona, por via de regra, há um pulso durante o exercício matutino, não o treino muito intensivo ou até um passeio ordinário.
  • Zona baixa (fitness) – 70-80% do MChS.O treinamento nessa área é o que as pessoas precisam para perder peso. Durante esse treinamento, o corpo queima ativamente gorduras no corpo para manter sua força. A pessoa está nessa zona de pulso, por exemplo, enquanto corre ou sobe os degraus.
  • Zona aeróbica – 80-90% do MCHSS. Carga ainda mais intensa, mais calorias queimadas. Mas o corpo não tem tempo suficiente para obter toda a energia necessária devido à divisão das gorduras, portanto, as reservas de carboidratos começam a ser gastas nesta zona. Esta zona é, por exemplo, dança ou aeróbica.
  • Zona anaeróbica – 90-95% do MCHSS. Esta zona contribui para o máximo desenvolvimento da resistência humana. No entanto, neste modo, o corpo queima quase apenas carboidratos, por isso os médicos aconselham alternar treinamento aeróbico e anaeróbico (por exemplo, esqui, ciclismo intensivo).
  • A zona de carga máxima é superior a 95% do MFSS. O treinamento nesta zona é geralmente realizado por atletas profissionais pouco antes da competição. Para as pessoas que querem perder peso ou simplesmente melhorar sua saúde, expor-se a tais tensões não é apenas útil, mas também perigoso.

Então, que conclusões devemos tirar de toda essa informação? O mais importante é conhecer seu objetivo. Por que você treina? Se você quiser perder peso, treinos alternativos em fitness e zonas aeróbicas. Se isso lhe parece um pouco e você quer melhorar sua própria resistência – você pode adicionar exercícios anaeróbicos à sua agenda. Se você quer apenas melhorar sua condição – inclua na atividade do plano de treinamento nas primeiras quatro zonas. A principal coisa é lembrar que a diligência excessiva e trazer-se a um estado pré-bravura com treinamento pesado ainda não beneficiou ninguém.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

35 + = 40